As reações emocionais manifestam-se através de modificações nos comportamentos habituais das pessoas. Nem sempre são percebidas pelo indivíduo, entretanto, são notadas por aqueles que convivem com ele.

As reações emocionais na pandemia são esperadas e, até certo ponto, são naturais. O problema se dá quando essas reações emocionais ultrapassam o limite normal, estendendo-se para outras áreas de sua vida, como a profissional, pessoal, familiar, acadêmica, etc.

Segundo o médico psiquiatra, Dr°. Jair de Jesus Mari, professor titular e chefe do departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/UNIFESP), os sintomas psicológicos relacionados às fases desta epidemia são:

 

1° Fase: É o medo da contaminação, com sintomas de estresse agudo ocasionado por esta circunstância súbita e inesperada. Além disso, há o sentimento de medo que se for persistente, poderá causar desequilíbrio neurofisiológico;

 

2° Fase: está relacionada ao confinamento compulsório ou não, que exige uma forçada mudança de rotina. Nesta fase são comuns manifestações de desespero, tédio e raiva pela perda de liberdade. Reações de ajustamento situacional caracterizado por ansiedade, irritabilidade e desconforto a nova rotina. Estas reações são esperadas e preocupam quando passam a afetar a funcionalidade do indivíduo;

 

3° Fase: Está vinculada as possíveis perdas econômicas e afetivas decorrentes da epidemia. As pessoas em isolamento mais rígido terão perdas por uma experiência traumática. Podendo desenvolver depressão, riscos de suicídio e, posteriormente, estresse pós-traumático.

 

Podemos manter certo controle e organização emocional permanecendo ativo, com uma rotina, realizando e produzindo atividades, profissionais, domésticas, pessoais, mantendo contato com os familiares, pessoas próximas. Utilizar, também, este tempo de confinamento para iniciar projetos pendentes em nossas vidas, àqueles dos quais não demos início devido à falta de tempo.

A falta de informação ou a busca em meios não confiáveis são uns dos precursores as reações emocionais podendo apresentar conflitos e até descontroles. Procurar sempre um bom profissional, um psicólogo clínico, um médico especialista que, com propriedade e segurança, orientará e direcionará para um melhor entendimento, com suporte e amparo psicológico para que se tenha uma melhor qualidade de vida e bem estar emocional.

 

 

Referência

https://www.unifesp.br/reitoria/dci/noticias-anteriores-dci/item/4395-quais-os-principais-efeitos-da-pandemia-na-saude-mental

Gabriel Bianco Machado
Psicólogo Clínico CRP 08/20841
Especialista em Pessoas com Deficiência

 

Tradução para Libras e edição do vídeo:
Alexsander Pimentel
Doutorando do PPGTS - PUCPR
Tradutor Intérprete de Língua de Sinais

 

Apoio nas filmagens para Libras:
Luana Arrial Bastos
Mestranda do PPGTS - PUCPR
Professora, tradutora e intérprete de Língua Portuguesa e Espanhola