Olá, eu sou a Daoana Alka Cordeiro, Biomédica, e hoje falarei sobre como a máscara PFF2/N95 funciona.

As máscaras criam uma barreira física que permite o isolamento de nosso rosto, nariz e boca para que a COVID-19 não seja contraída. As máscaras de tecido atuam como uma barreira mecânica, com o intuito de impedir a entrada das partículas. As partículas podem ser classificadas em tamanhos. Logo, podemos dizer que as partículas grandes têm a capacidade de viajar em linha reta, por isso vão encontrar a máscara e acontecerá sua retenção na barreira.

Quanto às partículas pequenas, as moléculas do ar colidem com essas partículas pequenas e em algum momento elas encontrarão a máscara, que atuará como barreira. Existem, também, as partículas médias, que viajam junto com o ar, e por isso elas conseguem passar as barreiras que a máscara de tecido tem, uma vez que elas permeiam as fibras da máscara e entram em contato com o rosto juntamente com o ar.

Para resolver o problema das partículas médias, é necessária uma barreira mais eficiente para que elas não passem pela máscara e coloquem a saúde em risco. Falando um pouquinho de Física, sabe aquele experimento que todos fazemos na aula de ciência onde passamos um pente no cabelo e depois colocamos próximo de pedacinhos de papel e eles grudam no pente? Então, o que acontece é mais ou menos isso.

Quando as partículas encontram a máscara PFF2/N95, acontece um atrito e com isso a fibra e a partícula fazem uma troca de elétrons, criando um campo elétrico. É como se um imã fosse criado, impedindo que as partículas entrem e filtrando o ar para que ele seja respirado da maneira mais pura possível.

Então, comparando com a máscara de tecido, a PFF2/N95 é mais eficiente para o combate à COVID-19. Mas lembre-se, essa máscara não pode ser lavada!

Você deve utilizá-la e ao chegar em casa pendurar no varal, preferencialmente sob luz solar, e deixar ali por sete dias e somente após isso utilizar novamente.

O descarte deve ser feito após a utilização por cinco vezes, ou então quando for observado alguma avaria como rasgos, desgaste, furos na máscara ou problemas na fixação dos elásticos.

Lembrando também que essa máscara é presa atrás da cabeça, com dois elásticos, e deve ser fixada no rosto de uma maneira que não permita a entrada de ar pelas laterais ou pela parte superior e inferior dela.

 

Daoana Carolaine Alka Cordeiro
Biomédica - CRBM 2597/PR
Mestranda PPGTS - PUCPR

Tradução para Libras e Edição dos Vídeos
Alexsander Pimentel
Doutorando do PPGTS - PUCPR

Revisora de Texto em Língua Portuguesa
Luana Arrial Bastos
Mestranda do PPGTS – PUCPR

 

REFERÊNCIAS

JUANG, P, S. C.; TSAI, P. Métodos de limpeza e reutilização do respirador N95 propostos pelo inventor do material da máscara N95. Fórum de Emergência. v.58, ed. 5, p. 817-820, 2020.

LEACHI H. F. L.; RIBEIRO R. P. As máscaras utilizadas pelos profissionais da saúde:o que é recomendado? Advances in Nursing and Health [Internet]. 2020; 2(1): 2-7.

SERGEY, A.; GRINSHPUN, H. H.; ROBERT, M.; ENINGER, T. R.; , ROY, T. M. & SHU-AN, L. (2009) Performance of an N95 Filtering Facepiece Particulate Respirator and a Surgical Mask During Human Breathing: Two Pathways for Particle Penetration, Journal of Occupational and Environmental Hygiene, 6:10, p.593-603, DOI: 10.1080/15459620903120086