Tradução em Libras do Resumo do artigo apresentado no Congresso Brasileiro de Fisioterapia em Oncologia (CBFO) 2021

 

FISIOTERAPIA EM PACIENTES COM LINFEDEMA PÓS-MASTECTOMIA DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

O câncer de mama é a principal neoplasia¹ entre as mulheres no Brasil, e o seu tratamento gera complicações como o linfedema. A paciente necessita de atendimento de forma contínua para esta condição. Com a pandemia e os atendimentos suspensos, o prognóstico do linfedema tem piorado, afetando diretamente a vida destas mulheres.

Sou Aline Romanel, fisioterapeuta e o objetivo deste trabalho foi identificar o impacto da pandemia na assistência a mulheres com linfedema pós-mastectomia. Para isto, realizei uma pesquisa quantitativa no mês de março de 2021 que teve como coleta de dados um questionário estruturado para uma percepção quanto à falta do tratamento presencial fisioterapêutico acarretou ao paciente, bem como, em seu prognóstico. O questionário foi elaborado no Google Formulário composto por 10 questões e 36 pacientes, assistidas pela Associação Amigas da Mama, participaram. Quanto aos resultados: A faixa etária da maioria das participantes foi entre 40 a 60 anos. Das 36 participantes 70% apresentavam linfedema em um dos membros superiores ou em ambos. Constatou-se 85% ficaram mais de seis meses sem atendimento fisioterapêutico, devido à pandemia da COVID-19 com piora de 65% nos casos.

O principal sintoma apresentado foi o aumento do edema no membro comprometido 31,6%, sendo apontado por 85% a falta da drenagem linfática manual como principal fator. A escolha pelo atendimento presencial supera o online e 90% responderam que não há como tratar o linfedema sem a presença do fisioterapeuta. Conclui que a fisioterapia presencial tem um papel importante na reabilitação das pacientes com linfedema, devendo ser mantida durante a pandemia.


[1] Quando o tumor se dá por crescimento do número de células, ele é chamado neoplasia - que pode ser benigna ou maligna.

Palavras-chave: Fisioterapia Onco-Linfática. Câncer de mama. Linfedema. COVID-19

 

Autor
Aline Oliveira Ferreira Romanel
Fisioterapeuta – CREFITO 41745-F
Mestranda PPGTS – PUCPR

Revisão e Narração em Língua Portuguesa
Luana Arrial Bastos
Mestre em Tecnologia em Saúde – PUCPR

Tradução para Libras
Lígia Fernanda Giorgia de Oliveira Klein

Edição do Vídeo
Kyarah Sayuri Chihaya Zagheni

 

REFERÊNCIAS

BERGMAN, A.; MATTOS, I.E.; KOIFMAN, R.J. Diagnóstico do linfedema: análise dos métodos empregados na avaliação do membro superior após linfadenectomia axilar para tratamento do câncer de mama. Rev. Bras. Câncer, 50: 311-20, 2004.

BORIS, M.; WEINDORF, S.; LASINSKI, B. Lymphedema reduction by complex lymphedema therapy. Oncology. 1994; 8: 95- 106. PMid: 7993730.

CIUCCI, J.L.; KRAPP, J.C.; SORACCCO, J.E.; AYGUAVELLA, J.; MARCOVECCHIO, L.D.; SALVIA, C. et al. Clínica e evolução na abordagem terapêutica interdisciplinar em 640 participantes com linfedema durante 20 anos. J. Vasc. Br. 2004; 3(1): 72-6

KOVACS SANT'ANNA, D.; DE ALMEIDA, V.; LOUZADA PETITO, E.; RIVERO DE GUTIERREZ, M. G. Adesão à prática de exercícios para reabilitação funcional de mulheres com câncer de mama: revisão de literatura. Ciencia y Enfermería, Concepción, v. 16, n. 1, p. 97-104, 2010.

 

Como citar ABNT 

ROMANEL, Aline Oliveira Ferreira. Fisioterapia em pacientes com linfedema pós-mastectomia durante a pandemia da COVID-19. Unidos pela Saúde, 2023. Narração em Língua Portuguesa: L. A. Bastos. Tradução para Libras: L. F. G. de O. Klein. Disponível em: https://www.unidospelasaude.com.br/fisioterapia-em-pacientes-com-linfedema-pos-mastectomia-durante-a-pandemia-da-covid-19/ Acesso em: 22 maio 2024.